quinta-feira, 7 de maio de 2009

BEIJO NA BUNDA E ATÉ O CINEMA NO TEATRO DA SEGUNDA

Fui ao Ferreirinha ("Teatro de Bolso", como diz o Cláudio Marconcine) no final do mês de abril, ansioso para prestigiar o retorno do Projeto Cinema no Teatro, agora sob a batuta do novo presidente da ASSARTI, o renomado maestro Pier Paolo Pietrini. Cheguei uns vinte minutos adiantado e quase tive um infarto quando um desavisado me “desavisou” que não haveria sessão. Informe incorreto, logo retificado pelo Jairin, uns dos projetistas do "Cinema" e atual vendedor de água das paragens. "Daqui uns dias vou botar pipoca aqui também". Beleza, Jairin. Ótima idéia. Falando nisso, cadê aquele velhinho pipoqueiro que de vez em quando aparecia com seu carrinho pela porta do Teatro?

Mas aí a sessão iniciou, pontualmente às 19h, sem dar tempo pro Jairin responder a pergunta do parágrafo anterior. Prezadas leitoras deste jornal, a única coisa que posso dizer é que os cinco curtas-metragens que se seguiram foram realmente excelentes. Cinco documentários que exploraram como tema a música. A música dos LPs de um velho colecionador do Ceará; a música da Moda de Viola, triste narrativa de uma pobre família mineira que ganha a vida (ou tenta) fabricando violas caipiras; a música sublime de um desconhecido trombonista brasileiro; a música “agressiva” dos primórdios do Punk nacional; e a música do mangue pernambucano – do Otto, do Fred 04, da Nação Zumbi, do Chico Science.

Não fiquei para assistir a segunda sessão. Era um filme de amor. (Perdoe-me, Senhor, por não ter tino para o amor.) Mas uma linda “neocinéfila” que conheci na escadaria do Teatro ficou. Aliás, ela me falou que só foi até ali para assistir o tal filme de “amor”. Um filme que, certamente, deve combinar muita com ela. Porque ela é linda. E ela me disse, dentre outras coisas, que trabalha próximo ao Teatro. E que vende perfumes. Yes Perfumes.

Ah, antes que eu me esqueça, lembrei de uma coisa. Méritos para o Domingos Cézar, repórter dO Progresso. Sempre aos domingos (ou não tão sempre assim), ele está escrevendo matérias sobre os filmes que serão exibidos no Projeto Cinema no Teatro, uma parceria entre o Ministério da Cultura e a ASSARTI, que funciona no Teatro Ferreira do Gullar, todas as segundas-feiras, pontualmente às 19h. Foi através de matéria dele nO Progresso que fiquei sabendo que seriam exibidos os tais documentários. Valeu aí pela dica, Domingos. E até as próximas segundas.

2 comentários:

Alda disse...

Eu tb. tô conferindo. Pena que na segunda que foste, eu estava no Pará. Ooolhas, os filmes selecionados pela Programadora Brasil são óteeeemos!

;*
Alda

Luís Diniz disse...

É, o projeto é bom, os filmes também. O que falta mesmo é o povo descobrir essa telona.